Search
  • Quebrando o Divã

O que levou a psicóloga a quebrar o divã?

Só pra esclarecer: eu nunca atendi em divã (ainda que tenha tido um, poucos se deitaram nele). Apesar da minha formação ter sido embasada pela Psicanálise, eu nunca me identifiquei como "psicanalista". Mas o atendimento clínico em Psicologia tem seus estereótipos, e o divã é um deles - e por isso ele virou uma figura aqui nesta "linguagem".


Havia alguns anos eu estava desconfortável com a psicologia que, enquanto categoria, estava cada vez mais voltada para o coletivismo, levantando bandeiras que há anos servem para cindir ao invés de unir. Na minha visão de mundo, isso está muito longe de um processo de cura. A instituição, assim como o sistema no qual estamos inseridos, está disfuncional... e faz tempo.


Em 2020, o mundo virou de cabeça pra baixo! Medo e propaganda fizeram parte da narrativa global, o que não foi diferente dentro do campo de saberes institucionalizados, se apoiando em órgãos internacionais que manipulam 'verdades sem evidências' para coordenar o comportamento grupal. Pela primeira vez, a ciência passou a apresentar somente tese, carecendo de antítese para se chegar a uma conclusão momentânea, que naturalmente se transforma ao longo do tempo (pois se fosse uma verdade inquestionável e estagnada, seria dogma).


Quem se colocou fora da zona do medo, inevitavelmente, sofreu ataques. Qualquer ato de questionamento era tido como uma ameaça à vida humana. Foi possível observar que a lógica ficou enterrada em algum lugar do passado. Aproveitei o desconforto e me retirei de cena encaminhando os clientes e fechando a agenda de atendimento (que passou a ser online com a mudança para os Estados Unidos, em 2017).


O ano de 2020 trouxe solidão não pelo cumprimento de protocolos desumanos, mas porque muitas das conexões até então estabelecidas se afrouxaram. E eis que a solitude se mostra como um lugar de cura pra quem sabe aproveitar. Em silêncio, ideias nascem enquanto outras coisas morrem. Percebi que a psicologia pode ir para além do "divã" (no tradicional formato de 1-pra-1). Através de uma fala mais aprofundada que intenciona conexão, informação e educação, podemos atingir camadas de relacionamentos (internos e externos) cada vez mais conscientes e, consequentemente, mais saudáveis.


E assim nasceu a ideia deste blog acompanhado do podcast, num momento em que a voz queria se expressar em meio a gritos ideológicos levantados como bandeiras por saberes institucionalizados. Quem não pensa ou não se comporta como manda o protocolo, ou de acordo com as narrativas, é excluído. E a rejeição pode ser ferramenta potente pra acessar amor próprio, que só é possível àqueles que possuem um senso de self (si mesmo). E essa será a base do "Quebrando o Divã".


A individualidade, mais do que nunca, deu lugar ao coletivismo e, sem espaço para questionar a importância do SER em sua unicidade, a psicologia institucionalizada perdeu o sentido. Porém, ela está aí, sendo praticada diariamente, fora dos muros acadêmicos e longe dos divãs, especialmente quando é usada para nos hipnotizar e nos controlar.


E é deste lugar de "quebra" que resolvi dar voz a valores que se apresentaram ao longo da minha jornada tanto profissional quanto pessoal: a Verdade (que só pode ser vivida no campo do EU, pois ninguém nos traz a verdade - ela precisa ser experimentada), a Individualidade (que é o único lugar em que o despertar é possível - mesmo em um processo de transição coletiva, cada um vivencia a verdade de um jeito e a consciência precisa ser honrada) e a Liberdade (atualmente, uma ameaça ao coletivismo escravizante).


Através de fala e texto, pretendo abordar temas importantes à construção e reconhecimento do SELF, como: estilo de apego, traumas, programação subconsciente, tipos de relacionamentos humanos (incluindo o narcisismo, tão importante de ser compreendido nos dias atuais), trabalho com sombras e, consequentemente, um potencial para migrarmos do "uno" ao "todo" - ao meu ver, a única forma de ascendermos em Consciência. E também como a meditação, os florais e outros recursos podem nos auxiliar neste processo.


Num mundo em que questionar se tornou uma atividade de risco, uma rede mais íntima se faz necessária pra esta construção. Manterei também um mailing que será enviado mensalmente, anunciando updates, reflexões e esclarecimento de dúvidas de quem quiser se conectar via email. Caso você queira estar neste mailing, inscreva-se aqui pelo site.


Desde já, gratidão a você que também está nesta jornada de busca, de limpeza, de encontro, de integração e de autenticamente SER neste mundo que se desdobra à nossa frente. Estamos juntos! <3

112 views

Recent Posts

See All